sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

O PASTOR QUE VIROU MUÇULMANO




Na segunda semana de janeiro fui surpreendido com uma notícia angustiante: “Pastor da Assembleia de Deus se converte ao islamismo”. Fiquei chocado! Triste, angustiado, revoltado... Enfim, fiquei sem entender. Passados alguns dias desde que essa notícia se tornou pública e correu o Brasil, resolvi me manifestar.
Vamos aos fatos.
O senhor João de Deus (esse é o seu nome próprio) era funcionário público (banco do Brasil) e iniciou a sua vida ministerial na Assembleia de Deus da cidade de Itabaiana, interior da Paraíba a mais de 20 anos atrás. Por volta do final dos anos 90, juntamente com um grupo de pastores saiu da Assembleia de Deus Missão (como é denominado aqui nessa região as igrejas ligadas a CGADB) e se filiou a Assembleia de Deus Ministério de Madureira, com sua sede no bairro do Cristo Redentor. Em pouco tempo alguns destes pastores que foram para a Assembleia de Deus de Madureira, formaram ministérios autônomos ligados a Convenção Nacional de Madureira, inclusive João de Deus que fundou a “Assembleia de Deus Ministério de Madureira, campo Deus é fiel”.
A filha de João de Deus, segundo consta, se mudou para Dubai, Emirados Árabes, e lá se casou com um árabe muçulmano bem abastado financeiramente. Ao visitar sua filha, voltou com algumas ideias diferentes. Segundo membros da igreja, quando ainda era o pastor da igreja proibiu o irmãos a exercerem os dons espirituais, o que causou um esfriamento na igreja – segundo relatos de irmãos desta referida igreja.
Antes deixar a liderança da igreja (a informação que foi passada para a igreja é que ele iria morar com a filha em Dubai, e por isso estaria entregando a direção da igreja), João de Deus, firmou um acordo no qual receberia uma quantia de dinheiro por 36 meses (uma espécie de indenização). Porém, ainda não havia se declarado muçulmano (embora já o fosse no coração). Quando passou a igreja a outro pastor, então declarou-se muçulmano. Os irmãos da igreja se sentem traídos, pois, no mínimo ele agiu de má fé ao firmar esse acordo financeiro já sendo muçulmano.
Bem, estes são os fatos que são largamente conhecidos na cidade de João Pessoa, inclusive por uma carta feita pelo próprio João de Deus e lida na sua antiga igreja.
Bem, então vejamos:
Conheci João de Deus já no campo Deus é fiel, participamos de algumas reuniões na associação de pastores da cidade. Também nos encontramos no treinamento do Projeto Minha Esperança, onde ela era o representante da Convenção de Madureira na Paraíba. A impressão que tive dele foi a de um homem de pouca expressão, pouco carisma, e de pouca argumentação bíblica (digo argumentação no sentido de ter base para se criar um argumento sólido e clareza nas posições), fruto de uma hermenêutica pobre e com muitas lacunas. Ainda há aqueles que o conhecem bem e dizem que na verdade ele não foi seduzido pela doutrina islâmica, mas pelos “petrodólares” oferecidos a ele depois que ele se tornasse um líder muçulmano.
A verdade é que João de Deus apostatou da fé, pois nega a divindade de Cristo, a sua volta iminente, a Trindade, e assim como Alexandre e Demas, que, como disse Paulo, amou o presente século, nos tem causado muitos males (2 Tm 4.10,14). João de Deus foi um obreiro inexpressivo, de palavras inexpressivas e posso dizer sem convicção. Pois na sua entrevista para um jornal da cidade ele disse que sempre teve problemas com a data do Natal ser 25 de dezembro! Ora, qualquer crente sabe que tanto faz a data que se comemora o nascimento de Jesus, pois o que importa é o dia em que Ele veio ao nosso coração e mudou a nossa vida. O que importa é que um dia Deus interveio na história humana e enviou o Seu Filho para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna (Jo 3.16).
Quando passar essa surpresa inicial, ele continuará sendo uma pessoa inexpressiva e o campo que ele enganou e abandonou, com a graça de Deus crescerá (o que não aconteceu quando ele liderava), ele será esquecido e a igreja seguirá caminhando, pois disse Jesus: “...sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16.18).
Eduardo Leandro Alves
Secretário Executivo de Missões da AD na Paraíba
eduardoleandroalves.blogspot.com

16 comentários:

  1. O Ex pastor era um funcionário publico federal ex funcionário do Banco do Brasil, mais achou que teria mais vantagem como pastor, uma coisa que na na verdade ele nunca foi. Queria sempre ter vantagem finaceira em alguma coisa, Então esso Homem nunca foi um pastor mais um mecenário por natureza. Quando a filha dele foi pra Dubai seus pensamento só vinha cifras uma coisa que ele adora! Na verdade ele na se converteu ao Islã porque ele nunca teve um religião a religião dele e a sua ambição sua vaidade e seu "eu" conheci esse homem de perto sei o que estou falando só um cego não via a sua arrogância e prepotência mais como diz a Biblia: não oculto que não seja revelado. E podem ficar certo se João de Alá pular de um prédio não é suicidio tem alguma vantagem pra ele lá em baixo.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo artigo meu irmão. Deus continue te abençoando.

    ResponderExcluir
  3. Meire_will@hotmail.com25 de janeiro de 2010 10:29

    É lamentável a atitude desse pastor,de ter abandonado o seu ministério.E ao mesmo tempo pelo que o Pr falou,ele não demonstrava nenhum amor pela obra de Deus,mas nesses últimos dias as pessoas mostraram quem realmente são e ficaram somente aqueles escolhidos por Deus.

    ResponderExcluir
  4. O ex-pastor João, "que nunca foi de Deus" é um mercenário vendido. Ele não apenas apostatou da fé, mas também vendeu sua vida para o diabo, isso literalmente. O que sei é que sua filha casou-se com um árabe dono de vários poços de petróleo, e o ex-pastor acabou se vendendo. "Sogro de xeique xeiquinho é". Ele é muito cara de pau em fazer o que fez e ainda pronunciar desculpas esfarrapadas. Se ele saiu de nós é porque nunca pertenceu a nós ... (I João 2:19) - Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós.
    Igreja do Senhor estejamos firmes e confiantes na volta de Jesus - o Deus Filho - pois a sua Palavra diz que nos últimos dias a apostasia seria algo frequente, e é isso que tem ocorrido. Glórias a Deus por tudo, hoje e eternamente.
    Por Flávio César

    ResponderExcluir
  5. Bem amados, antes de tudo agradeço por visitarem o meu blog.
    Respeito as opiniões, mas devemoster cuidado com as palavras "fortes"que ofendem.
    Abraços.
    Eduardo

    ResponderExcluir
  6. A Bíblia fala sobre apostasia, que é uma palavra grega abandono ou deserção da fé, no NT temos as epístolas Paulinas 1TM 4.1, 2TM 2.17-18,2Ts 2.13.No caso de João De Deus se é que podemos chama-lo assim ele era só um cristão nominal intitulado Pastor, oremos para que no dia do Senhor Jesus sua alma seja salva e que outros não entre por esse caminho da avareza trocando cristo por dinheiro.

    ResponderExcluir
  7. Prezado Eduardo,
    Apenas uma correção. Ao contrário do que vc afirmou acima, os mussulmanos creem que será Jesus que, no final dos tempos, virá julgar os vivos e os mortos. Eles tem grande reverência por Jesus e sua mãe Maria, esta merecendo inclusive um capítulo inteiro do Alcorão.
    Al´m disto, tomando por base a mesquita de Brasília, que conheço, boa parte dos convertidos brasileiros ao Islam provem de igrejas evangélicas pentecostais e neo pentecostais. Deixaram de seguir a bíblia estritamente para seguir Corão ao pé da letra. Ou seja, parece que há alguma coisa que interliga esse tipo de caminhada: o fundamentalismo, seja ele cristão ou mussulmano.
    Um abraço respeitoso,
    Paulo,
    Brasília

    ResponderExcluir
  8. Prezado Paulo, obrigado por comentar em meu Blog.
    Realmente sei que o Alcorão reverencia Jesus e Maria, porém Jesus é tido como um profeta (memor que Maomé) e não o Salvador. Sobre o fato de crerem que Jesus virá para julgar os vivos e mortos é uma corrente de intepretação mais ligada aos muçulmanos sunitas, ou seja, não é um ponto de consenso.
    Grande abraço
    Eduardo

    ResponderExcluir
  9. OLÁ PR., A PAZ DO SENHOR, INFELISMENTE ESSE HOMEM TROCOU O REINO DE DEUS PELA CONDENAÇÃO ETERNA, QUANTO A IGREJA DO SENHOR AS PORTAS DO INFERNO NÃO VÃO PREVALECER CONTRA ELA, ISTO QUER DIZER QUE MESMO QUE LACREM NOSSAS PORTAS, A IGREJA CONTINUARÁ SE REUNINDO PARA ADORAR NEM QUE SEJA EM UM PORÃO.

    ABRAÇO E ACESSE MEU BLOG.

    http://manoel-lopes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Jonas Germano,

    Excelente artigo Eduardo, sempre gostei muito de sua maneira de escrever e defender.
    Deus continue abençoando-te

    ResponderExcluir
  11. e por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos se esfriará, neste caso esse ''pastor fes foi aposttar da fé

    ResponderExcluir
  12. Prezado professor Eduardo,
    Por acaso estava fazendo uma pesquisa na internet e encontrei este seu blog e um artigo sobre a apostasia do ex-pastor João de Deus.
    Fui seu aluno na antiga Escola de Pastores na Igreja Batista de Manaíra por volta do ano 2002. Hoje pastoreio a PIB no Jardim Aeroporto.
    Em alguns momentos dos acontecimentos atuais, lembro-me muito das suas aulas e fico imaginando: "O que Eduardo diria neste momento".
    Ora, vejam só! Mais uma vez nos encontramos, mesmo que virtualmente.
    Envio um grande abraço para você e sua esposa.
    E aguardo que algum dia possamos nos encontrar novamente.
    No amor de Cristo,
    Pr. Isaac Francisco do Nascimento

    ResponderExcluir
  13. Francisco Vieira De Medeiros9 de maio de 2010 03:28

    Esse Cidadão nunca teve a experiência do Novo Nascimento, Esteve no Nosso Meio(Evangélico), Mas Nunca Foi Um dos Nossos, Quem Crê Em Jesus Nunca Será Confudido...

    ResponderExcluir
  14. Caro Pr. Isaac, paz do Senhor.
    Que bom lhe encontrar! Fico feliz em saber que Deus está cumprindo em sua vida os Seus propósitos.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  15. Ora,não nos deve causar espanto este fato.É normal nos dias que estamos,pois são tempos de apostasia...e como!
    É óbvio que escandaliza os mais "novos" na fé,os cujas raízes não são profundas ainda.Urge que ensinemos os novos crentes para não se deixarem abduzir por falácias teológicas e ganancia pelo vil metal.O que fica é:Se até pastores se deixam seduzir... e as ovelhas? Que Deus se apiede de nós nesses tempos "globalizados" e sedutores.

    ResponderExcluir
  16. Um Pastor nunca troca seu rebanho por lobos...
    Este homem trocou a fé em Deus pelo dinheiro
    Ainda bem que ele revelou oque realmente estava no coração dele.Imaginem este homem no meio do povo de Deus com essa capa,talvez ele colocasse costumes Islâmicos dentro da igreja.Misericórdia tá repreendido em nome de jesus.

    ResponderExcluir